Captain Dynamo (DOS)

Boxart do jogo

Boxart do jogo

  • Desenvolvedor: Codemasters
  • Publisher: Codemasters
  • Data de lançamento: 1992
  • Gênero: Sidescrolling platform game

Quando falamos sobre PC hoje em dia, quais tipos de games vêm na cabeça? Com certeza CS são as primeiras letras que aparecem na mente. Além de Counter Strike, temos World of Warcraft, Ragnarok, Starcraft 2, Flight Simulator, Sims 3, entre outros jogos de FPS, RTS e MMORPG. Enfim, dificilmente pensamos em jogos de plataforma, arcade, puzzles ou games mais comuns de serem encontrados nos consoles. Embora o Steam forneça jogos desse tipo (como o Braid), além dos trocentos webgames em flash, o computador é uma plataforma voltada para jogos de tiro em primeira pessoa, estratégia em tempo real ou RPG multiplayer.

Mas nem sempre foi assim. Até a metade dos anos 90, os PCs eram plataformas com gêneros tão variados quanto os consoles. Tanto o IBM-PC (sistema operacional DOS) quanto o Amiga tinham ports de arcades (Street Fighter, Caveman Ninja, Golden Axe, etc.) e jogos de plataforma ou puzzles tradicionais, com a vantagem de possuírem temáticas mais adultas ou dificuldade elevada. Prova disso é o maravilhoso site Abandonia (http://www.abandonia.com), que serve de museu de jogos antigos para o velho DOS, além de fornecer downloads de algumas das verdadeiras pérolas dos PCs antigos.

Uma delas é o Captain Dynamo, lançado em 1992 pela Codemasters para diversas plataformas, como o Commodore 64, Atari ST e DOS. É sobre a versão do DOS que eu vou analisar neste post.

Super Aposentado

Verso da caixinha

Verso da caixinha

De acordo com a caixinha, um vilão sacana resolveu roubar diamantes. Com isso um super herói decide sair de sua aposentadoria para sentir novamente o gostinho de dar uma bicuda na boca dos super vilões e salvar mais uma vez o dia. Com essa simples introdução, Captain Dynamo entra em cena.

No melhor estilo plataforma, Captain Dynamo deve pular nos inimigos para derrotá-los, coletar os diamantes e enfrentar armadilhas perigosas. As fases são sempre no sentido vertical, de baixo para cima. O objetivo é chegar no topo do estágio.

Se soltar da cordinha, já era

Se soltar da cordinha, já era

O maior desafio do jogo são armadilhas nas fases. Existem diversas armadilhas diabolicamente posicionadas para pegar o jogador de surpresa. É preciso tomar cuidado com as serras no teto, os espinhos, poços de lava, esmagadores, entre outros obstáculos que anseiam pelo sangue do capitão. É necessário subir o estágio com muita cautela, pois uma mola pode arremessá-lo de cabeça aos espinhos, e o pulo precisa muitas vezes ser bem calculado antes de ser executado.

O que faz valer a pena

Muitos bônus na plataforma acima :D

Muitos bônus na plataforma acima😀

Cada passo dado para subir o estágio é um desafio, e há uma grande satisfação ao conseguir passar ileso pelas armadilhas do estágio, o que faz com que o jogador continue seguindo em frente. É o típico desafio que ao invés de assustar o jogador acaba incentivando o mesmo a continuar jogando. E quando os desenvolvedores conseguem essa proeza, o resultado é um jogo de qualidade e viciante. Mesmo depois do primeiro game over o jogador se sentirá tentado a jogar uma nova partida. Se eu tivesse um PC com esse jogo na minha infância, certamente eu gastaria horas e horas na frente do monitor auxiliando o capitão em sua jornada.

Os gráficos são bem cartunescos e muito agradáveis. A musiquinha que toca de fundo é bem legalzinha também, fica na cabeça por um tempo. Além disso os controles são bem precisos tanto no teclado quanto no joystick.

O que prejudica a experiência

Será que eu ainda dou conta do recado?

Será que eu ainda dou conta do recado?

Faltaram uns retoques para que o jogo ficasse perfeito. Um exemplo disso é a ausência de efeitos sonoros. Tirando a musiquinha de fundo, nada faz som, o que já prejudica e muito a experiência do jogo. É incrível como a ausência de efeitos sonoros no pulo, na coleta de itens e em outros eventos fazem a diferença.

Além disso, há apenas uma música no jogo todo, e embora seja legalzinha acaba cansando depois de algumas partidas. Mas também, esses pontos podem ser ignorados, afinal foram apenas 3 caras que desenvolveram este jogo (verdade, os créditos na tela de abertura listam apenas um artista, um músico e um programador).

Conclusão

Não há muito mais o que falar sobre este game, mas Capitão Dynamo é recomendado para fãs de plataforma, pois embora seja simples e até mesmo bobinho, acaba divertindo bastante. Para quem curte jogos de plataforma e quer ver como eram os jogos do bom e velho DOS, segue ae a dica.

Esse post foi publicado em Análises e marcado , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Captain Dynamo (DOS)

  1. Wellington disse:

    so para comentar…
    fizeram propaganda sua no seguinte link

    http://retrogames.forumbrasil.net/bate-papo-f4/depoimento-de-um-retrogamer-t56.htm

    parabens pelo bom trabalho, e otimos textos..
    se tiver interesse, de uma lhada no forum.
    grande abraco. alohawell

    • Oi Wellington! Cara, valeu pelos elogios ao meu blog, e obrigado por me informar sobre a propaganda, fico feliz que estejam curtindo meu blog. Fiquei interessado no forum também, vou dar uma olhada nele o quanto antes.

      Falow, abraços

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s